6c1b9f769a228f4e934751ae3ae21f5a

NOTÍCIAS

Boca Juniors bate Athletico na Baixada

Publicado em 25/7/2019


Boca Juniors bate Athletico na Baixada

Com gol de MacAllister no segundo tempo, Boca sai da Baixada com vantagem na briga pelas oitavas de final. Marco Ruben perde pênalti no final

A tal marca de time copeiro do Boca Juniors funcionou na noite desta quarta-feira, na vitória de 1 a 0 sobre o Athletico, na Baixada, pela primeira partida das oitavas de final da Libertadores. Depois de um jogo brigado, com muita tensão e pouco futebol dos dois lados, MacAllister fez o gol no segundo tempo, em um dos raros momentos de beleza da partida, com um chute de fora da área e que foi no ângulo. O Furacão tentava muito também de longe, mas o pé de Bruno Guimarães, Nikão e cia não estava tão bom quanto nos últimos jogos. A esperança de deixar o resultado igualado veio com o pênalti de Rony no fim do jogo, mas que Marco Ruben - o artilheiro do time na Libertadores - chutou na trave.

Com o resultado, o Athletico precisa vencer o segundo jogo, em Buenos Aires. Se o Furacão ganhar por 1 a 0, a decisão vai para os pênaltis. Vitória com qualquer outro placar garante a classificação do clube brasileiro. O empate coloca o Boca nas quartas de final.

O jogo começou tenso com um cartão amarelo para Bruno Guimarães ainda no primeiro minuto de jogo. Ele fez falta em MacAllister, na primeira jogada perigosa do Boca, e que gerou uma falta na entrada da área. E perigoso é o adjetivo que pode ser mais usado nesse primeiro tempo. Qualquer bobeira de cada um dos lados poderia representar em uma finalização. O Athletico bobeou mais e sofreu mais. Em erros de Léo Pereira e Bruno Guimarães, o Boca apareceu dentro da área para finalizações que Santos teve que resolver. O Furacão também chegou, criou jogadas em volta da área, Rony chutou pertinho do travessão, Bruno Guimarães e Nikão mandaram bombas, mas o sentimento é que o Boca esteve mais perto de abrir o placar no primeiro tempo.

O Athletico mostrou uma pequena reação e controle do jogo nos primeiros minutos, mas a partida logo voltou a ficar amarrada, complicada e nervosa. Sem grandes chances para nenhum dos lados, com as defesas desarmando muito e brigando bastante. As discussões ganharam força e que eram valorizadas pelos jogadores do Boca, que demonstravam interesse em desestabilizar a partida. A arbitragem tentava evitar que o jogo descambasse distribuindo amarelos para o Boca, que, aos 17 minutos, já tinha quatro jogadores com cartão. O Furacão ainda tentava construir jogadas ofensivas e tentava os chutes de fora da área, mas quem conseguiu mesmo foi o Boca, com MacCallister, em um chute de fora da área e que foi no ângulo do goleiro Santos. O sentimento de injustiça parecia que ia ficar para trás, quando Rony sofreu pênalti na área, mas Marco Ruben desperdiçou chutando na trave.

Athletico e Boca se reencontram na próxima quarta-feira, no estádio La Bombonera, em Buenos Aires. Antes disso, o Furacão enfrenta o Cruzeiro neste sábado, pelo Brasileiro. O jogo é em Minas Gerais.

Fonte: Globoesporte.globo.com


Compartilhe: