Boca Juniors Brasil - AS COPAS DO BOCA: É PENTA! 6c1b9f769a228f4e934751ae3ae21f5a

NOTÍCIAS

AS COPAS DO BOCA: É PENTA!

Publicado em 2/5/2018


AS COPAS DO BOCA: É PENTA!

Para ir a busca do seu pentacampeonato na Copa Libertadores, em 2003, o Boca Juniors conquistou sua vaga após o segundo lugar no Apertura do ano anterior. É assim que começamos o quinto episódio do “As Copas do Boca”, onde contamos todo o processo dos xeneizes na competição para se tornarem campeões.

O grupo 7 continha Independiente Medellín, da Colômbia; Barcelona, do Equador e Colo-Colo, do Chile, além dos argentinos. No primeiro jogo, os colombianos foram ao La Bombonera ver Ezequiel González e Marcelo Delgado fazerem os dois gols que deram a vitória aos donos da casa.

No jogo seguinte, viagem até Santiago para bater o Colo-Colo por 2x1, com gol aos 43 do segundo tempo. O terceiro confronto foi a visita dos equatorianos e uma vitória também por 2x1, com gols de Delgado e Schelotto. O segundo turno foi mais difícil. Uma derrota para o Medellín e dois empates fez com que o Boca terminasse na segunda colocação, com 11 pontos.

As oitavas de finais teve um confronto inusitado. Boca Juniors recebeu o Paysandu, do Brasil, para o primeiro jogo. Sendo um clube sem tradição, os brasileiros vindos do Pará acabaram por vencer a partida, com um gol de Iarley em partida de três expulsões. A atuação contra os xeneizes nessa partida fez com que o meia atacante fosse contratado pelo Boca no meio da temporada. O jogo de volta não teve para ninguém e o Boca conseguiu reverter o placar com uma vitória de 4x2.

Contra o Cobreloa, do Chile, nas quartas de finais, duas vitórias por 2x1 deram a vaga às semifinais. Essa fase contou com o primeiro gol de Carlos Tevez na edição, aos 14 do tempo inicial da partida dois.

Já nas fases seguintes, o Boca fingiu que não era uma Libertadores e detonou. Na semifinal, o América de Cali, da Colômbia, nem viu a cor da bola ao tomar 6x0, no agregado. Mais três gols de Tevez, vaga na final e título celebrado.

O Santos estava encantando com os “meninos da vila”, Diego e Robinho. Haviam feitos 29 gols em 12 jogos e tinha o artilheiro da competição, Ricardo Oliveira. Fizeram até um jogo duro na Argentina, mas o resultado favoreceu os xeneizes. Delgado fez três gols (igualando-se a RO na artilharia), Tevez um e Schiavi, de pênalti, o outro: 5x1, no agregado.

É PENTA!

Na Copa Intercontinental, o Boca segurou o empate com o Milan por 1x1 e conquistou o seu tricampeonato mundial nos pênaltis, em um 3x1.


Compartilhe: